Arquivo mensal: junho 2012

Escolhido o Hino da CF 2013 com o tema Fraternidade e Juventude

cflogoDesde 2006, por decisão dos bispos do Conselho Episcopal Pastoral, o Consep, o CD da Campanha da Fraternidade traz o Hino da CF e o repertório quaresmal correspondente a cada ano. O hino poder ser executado em algum momento (mais adequado) da celebração, a critério da equipe de celebração e de quem preside. “Por exemplo, em algum momento da homilia – o que facilitará a vinculação da liturgia da palavra com a vida (tema da CF) – ou nos ritos finais, no momento do envio. Prioritariamente, o hino deve ser usado nos momentos de estudo e encontros de formação sobre a CF”, afirma o assessor de Música Litúrgica da CNBB, padre José Carlos Sala.

O hino da Campanha da Fraternidade de 2013 já foi escolhido. A CF 2013 terá como tema: “Fraternidade e Juventude”, e tem como lema: “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8). O processo de escolha do hino passou por dois momentos: concurso para a letra e concurso para a música.

Na segunda quinzena de dezembro de 2011, representantes das Comissões Episcopais Pastorais para a Liturgia, Juventude e Campanha da Fraternidade, juntamente com o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, escolheram a letra. Dentre as mais de 40 letras enviadas foi escolhida a do compositor Gerson Cezar Souza.

No final de maio deste ano, representantes das Comissões de Liturgia e Juventude, maestros convidados e o secretário geral da CNBB, escolheram a música.

“A CNBB recebeu mais de 100 contribuições e a equipe analisou cuidadosamente cada uma das composições levando em conta os critérios do concurso e as avaliações da CF deste ano”, disse o padre José Carlos Sala, ressaltando ainda a grande riqueza melódica, harmônica e rítmica em estilos, os mais variados, próprios da diversidade cultural do nosso país.

A música escolhida foi a dos compositores Gil Ferreira e Daniel Victor Santos.

Os bispos do Consep, reunidos em Brasília nos dias 19 e 20 de junho analisaram a composição e a aprovaram.

Faça aqui o download da partitura!

O Nome da Igreja

Do Site Veritatis Splendor

Algumas pessoas me perguntam qual era a Igreja, o ou nome da Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sabemos que Nosso Senhor ao fundar a Igreja não lhe deu um nome, mas apenas a chamou de “minha Igreja ” (ecclesiam mean) (cf. Mt 16,18). Os Apóstolos e os primeiros cristãos sabiam que esta empresa de Cristo era para todo gênero humano. Não foi à toa que Cristo mandou pregrar o Evangelho à toda criatura (cf. Mt 28,19). Assim a Igreja de Cristo é a Igreja de todos, portanto Católica. O adjetivo “Católica” aplicado à Igreja deriva do adjetivo grego “katholiká” que significa geral, em oposição ao específico. Por isso a Igreja é Católica, porque é a Igreja de Todos e para todos.

O primeiro registro histórico do uso da expressão “Igreja Católica” (Ekklesia Katholiká) é ainda no início do segundo século. Santo Inácio de Antioquia ao escrever aos cristão de Esmirna – que estávam aos cuidados do Bispo Policarpo (discípulo pessoal de São João Apóstolo e Evangelista) – usa esta expressão:

“Onde quer que se apresente o Bispo, ali esteja também a comunidade, assim como a presença de Cristo Jesus nos assegura a presença da Igreja Católica” (Aos Esmirnenses 8,2).

A expessão “Igreja Católica” também é encontrada e outros escritos do séc II, como em outras cartas de Santo Inácio, “Martírio de Policarpo de Esmirna” e entre outros. Esta expressão foi consagrada durante o Concílio de Nicéia (325 DC), onde está escrito no credo “Creio na Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica” (Credo Niceno).

No entanto frente às crescentes heresias dos primeiros séculos foi necessário discernir que a Igreja além de Católica é também Apostólica. Os primeiros cristãos entendiam que somente nas Igreja que tinham origem na legítima sucessão dos apóstolos é que se conservava fielmente a Doutrina Apostólica. O Registro mais antigo desta ortodoxia também é do início do séc III:

“E quando, por nossa vez, os levamos [os hereges] à Tradição que vem dos apóstolos e que é conservada nas várias igrejas, pela sucessão dos presbíteros, então se opõe à Tradição, dizendo que, sendo eles mais sábios do que os presbíteros, não somente, mas até dos apóstolos, foram os únicos capazes de encontrar a pura verdade.” (Contra as Heresias, III,2,1, Santo Ireneu Bispo de Lião, + ou – 202 d.C)

“Portanto, a tradição dos apóstolos, que foi manifestada no mundo inteiro, pode ser descoberta e toda igreja por todos os que queiram ver a verdade. Poderíamos enumerar aqui os bispos que foram estabelecidos nas igrejas pelos apóstolos e seus sucessores até nós; e eles nunca ensinaram nem conheceram nada que se parecesse com o que essa gente [os hereges] vai delirando. […] Mas visto que seria coisa bastante longa elencar numa obrar como esta, as sucessões de todas as igrejas, limitar-nos-emos à maior e mais antiga e conhecida por todos, à igreja fundada e constituída em Roma, pelos dois gloriosíssimos apóstolos, Pedro e Paulo, e, indicando a sua tradição recebida dos apóstolos e a fé anunciada aos homens, que chegou até nós pelas sucessões dos bispos, refutaremos todos os que de alguma forma, quer por enfatuação ou vanglória, que por cegueira ou por doutrina errada, se reúnem prescindindo de qualquer legitimidade. Com efeito, deve necessariamente estar de acordo com ela, por causa da sua origem mais excelente, toda a igreja, isto é, os fiéis de todos os lugares, porque nela sempre foi conservada, de maneira especial, a tradição que deriva dos apóstolos.” (Contra as Heresias, III,3,1-2, Santo Ireneu Bispo de Lião, + ou – 202 d.C)

Assim a Igreja estabelecida por Cristo, fundamentada na confissão dos Apóstolos era identificada como Igreja Católica e Apostólica.

O registro mais antigo (creio eu) da expressão “Igreja Católica Apostólica Romana” é do Decreto Gelasiano, datado do final do século IV. Neste decreto o Papa Gelásio, além de confirmar o Cânon das Sagradas Escrituras – já estabelecidos nos sínodos de Hipona, Cartado e outros – confirma também a primazia da Igreja Romana sobre as demais Igrejas. Conforme vc mesmo viu no testemunho de Santo Ireneu, esta primazia não foi inventada por Gelásio, em por Constatino e nem pelo Papa Leão como pensam alguns.

Até o quarto século a Igreja Católica Apostólica Romana era comumente referida como a Igreja de Roma.

Autor: Alessandro Lima – Articulista do Site Veritatis Splendor

Tudo pronto para o primeiro retiro de São Pedro

fonte: grupocarismaticosaojudastadeu.blogspot.com.br

PROGRAMAÇÃO


 ·       Acássio Dutra (Coordenador RCC, diocese de Cajazeiras).

·       Kleber Pereira (Coordenador Estadual do Ministério de Palavra da RCC).
·       Jhonata (membro do grupo de oração Filhos de Sara – João Pessoa)

MINISTÉRIO DE MUSICA DE CONCEIÇÃO 
28/06 – Quinta-feira:
17:00hsCredenciamento 18:00 – Missa de abertura
20:00hs – Quadrilha Santa do erro.
21:00hs – Peça: “O canto das Írias”.
22:00hs – Recolhimento
29/06 – Sexta-feira:
07:00hs Café da Manhã
08:00hs – Acolhimento (louvor e Oração
09:00 – Pregação: Intimidade com o Pastor, ousadia no pastoreio. Jo 21, 17 Kleber pereira
10:30 – Intervalo
11:00 – Adoração – Oração Pelas Ovelhas e Pastores
12:00 Almoço
14:00 Louvor e Oração
15:00 Pregação: A Igreja Só se tornará Jovem, quando os jovens se tornarem igreja.  Jo 8, 36 Kleber Pereira
16:30 – Intervalo.
17:00 – Peça teatral, comunidade lagoinha.
17:30 – Encontro pessoal com o pastor. Adoração.
18:20: – Jantar.
20:00– Animação – show com ministério de Musica de Conceição.
30/06 – Sábado
07:00 – Café da manhã
08:00 – Oração e louvor
09:00 – Pregação: O retorno da ovelha perdida. 1Ped 2, 25.Jhonatha
10:30 – intervalo.
11:00–Oração pelos grupos de oração de Itaporanga
12:00 – Almoço
14:00 – Louvor e oração
15:00 – terço da divina misericórdia
15:30 – A igreja conduz a santidade, a fé me faz querer ser católico. Rom 5,1. Acácio Dutra
16:00 – intervalo.
16:30 – Testemunhos
17:00 – Dinâmica “ouvindo a voz do Pastor”.
18:00 – Momento de Adoração. Acácio Dutra
19:00 – Jantar.

20:00 – Show Musical – forro católico. Ministério de Música RCC Itaporanga.

Padre Gilberto Pároco de Monte Horebe-PB sofre acidente na PB-400

Redação,do Radar Sertanejo

O veículo dirigido pelo padre de Monte Horebe ficou com os quatro pneus para cima no meio da pista.

O veículo modelo Prisma teve um pneu estourado e capotou no meio da pista.

O padre Gilberto da Paróquia de Monte Horebe, no Alto Sertão da Paraíba, perdeu o controle do veículo que dirigia e capotou na  na Rodovia PB-400, depois de colidir na lateral da ponte do Sítio Picada dos Andrades, no trecho que une os municípios de Cajazeiras e São José de Piranhas.

O acidente ocorreu na tarde desta quinta-feira (21) e segundo testemuinhas, o veículo saiu se arrastando por cima do meio fio por vários metros e por pouco não caiu no barranco.

Apesar da capotagem, padre Gilberto sofreu apenas um corte na mão e foi levado em outro automóvel até a casa do Padre Nicodemos, em São José de Piranhas, em seguida dirigiu-se até o hospital local para fazer curativo do ferimento. “Padre Gilberto está bem, teve apenas um ferimento na mão”, disse Nicodemos.

O veículo, um prisma de cor prata, placas NPY-2633, ficou com os quatro pneus para cima no meio da pista. Moradores da localidade afirmaram que o padre teve sorte e contou com a proteção de Deus por não ter acontecido nada de grave com ele.