Arquivo diário: 22 de julho de 2012

Bispos de Denver consolam a comunidade após massacre em um cinema no estado do Colorado

Fonte: (ACI digital)- O Arcebispo de Denver, Dom Samuel Aquila, assinalou que “estamos em choque e entristecidos” depois da matança perpetrada por um homem durante a estreia do filme Batman: the Dark Knight Rises (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) no qual que morreram 12 pessoas. O fato comoveu os Estados Unidos inteiro e constitui o pior massacre do tipo nos últimos 5 anos.O homicida de 24 anos que levava uma máscara, identificado como James Holmes, assassinou suas vítimas a tiros em uma sala de cinema de Aurora, bairro residencial de Denver, logo depois de lançar bombas de gás lacrimogêneo na sala de cinema em que se encontrava.Outras 50 pessoas, entre elas várias crianças, resultaram feridas durante a função de meia-noite do último filme do diretor Christopher Nolan.Conforme assinala a agência Reuters, o chefe de polícia de Aurora, Dan Oates, disse em coletiva de imprensa que “este é um fato terrífico”, acrescentando que Holmes foi detido em um estacionamento atrás do cinema.

A polícia informou que o assassino deixou vários explosivos em seu apartamento e que as forças de segurança evacuaram os moradores do edifício no qual ele vive em uma zona de Denver habitada por muitos latinos. Os atores Marion Cotillard e Morgan Freeman suspenderam hoje em Paris sua excursão de promoção do filme após saber do tiroteio em Denver.

Em uma declaração enviada ao grupo ACI, assinada pelo Arcebispo de Denver e seu Bispo Auxiliar, Dom Samuel Aquila e Dom James Conley, respectivamente, destaca-se que “nossos corações e nossas orações estão com aqueles que se viram afetados por este ato maléfico”.

Utilizando um trocadilho relacionado ao título do filme, os prelados assinalam que “no caos do momento, as pessoas saíram do cinema para a escuridão da noite: a escuridão da confusão, da ambigüidade, do desespero. Fazemo-nos solidários com nossos irmãos e irmãs apanhados nessa escuridão. Vocês não estão sozinhos. Como bispos católicos, ‘choramos com os que choram’”.

Os Bispos assinalam logo que Aurora “que significa ‘amanhecer’, o sol saiu esta manhã. Em uma cidade cujo nome evoca a luz, o povo que tem esperança sabe que a escuridão pode ser vencida. Para aqueles que foram assassinados, nossa esperança é a terna misericórdia de nosso Deus”.

Os dois prelados oferecem logo seu acompanhamento para todos aqueles que foram atingidos por esta tragédia e rezam pela conversão do assassino em cujo coração “o mal tomou conta ontem à noite”.
“Só Jesus Cristo pode vencer a escuridão de tal mal”, afirmaram.

Depois de assegurar que distintas organizações da Arquidiocese de Denver darão acompanhamento para os que solicitarem, os Bispos concluem recordando que “seguiremos trabalhando para apoiar as comunidades e as famílias para formar pessoas de paz”.

Reflexão do 16º Domingo Comum

PASTOR COMPASSIVO

A cena evangélica de hoje antecede o episódio da primeira distribuição dos pães em Marcos. Os apóstolos haviam voltado da missão, e Jesus os convida a retirar-se a um lugar deserto. Uma pausa para descansar e refletir sobre a ação missionária junto ao povo. Como seguidores de Jesus, nossa fé só pode ser alimentada se damos espaço e tempo para que o Mestre esteja conosco e fale conosco, e assim possamos avaliar os passos dados.
Mas a multidão não dá descanso a Jesus. Estão como ovelhas sem pastor que as conduza por campos verdejantes de vida, esperando que Jesus faça algo. E a atitude dele para com a multidão é a do verdadeiro Pastor. Longe de se incomodar, sente compaixão, pois bem sabe dos sofrimentos de sua gente – um povo desorientado e faminto, com lideranças que pensavam mais nos próprios privilégios do que no bem comum.
Ter compaixão significa pôr-se no lugar do outro e de alguma maneira sofrer com ele. A compaixão faz de Jesus o Pastor autêntico, a organizar, alimentar e conduzir o povo.
Estar com Jesus, portanto, é estar com a gente sofrida com a qual ele se solidariza. E seguir o Mestre é permitir que sua liderança e pastoreio se façam visíveis hoje, por meio de nossa ação. E já que todos temos responsabilidade sobre isso, vale a profética chamada de atenção de Ezequiel: “Ai do pastor insensato, que abandona as ovelhas! Os que compram as ovelhas e as matam não são castigados, e os que as vendem ainda dizem: ‘Bendito seja Deus, porque fiquei rico’… E seus próprios pastores não têm compaixão delas” (Ez 11,17.5).
Não se compra nem se vende o povo de Deus. Que o aprendizado da compaixão nos traga a esperança de tempos novos. Tempos de maior discernimento, para a escolha de lideranças autênticas. A grandeza de um líder está em sua capacidade de sofrer com quem sofre e de usar o poder como serviço que transforma o sofrimento do povo em esperança e alegria.

Pe. Paulo Bazaglia, ssp