Arquivo diário: 4 de agosto de 2012

DIA DO PADRE

Vejamos quem é o Padre:

É alguém escolhido por Deus, dentro de uma comunidade, no seio de uma família, para ser o continuador da obra salvadora de Jesus. Ele assume a missão de construir a comunidade. Por graça e vocação, o padre age em nome de Jesus: ele perdoa os pecados, ele reconcilia seus irmãos com Deus e entre si; ele trás a bênção de Deus para todos. O padre é aquele que celebra a vida de Deus na vida da comunidade. Na Celebração Eucarística , ele trás Jesus para as comunidades. A Eucaristia é a razão primeira do sacerdócio. O padre alimenta seus fiéis por esse sacramento, pela sua pregação e pelo seu testemunho. Padre é o modelo por excelência de Jesus Cristo, o bom Pastor. Por esse motivo ele deve ser como o Cristo Pastor. O Padre deve ser o pastor atencioso de seu rebanho. Deve guiar por bons caminhos, orientando nas dificuldades e prevenindo quando necessário. Deve defender seus irmãos dos lobos modernos que devoram os menos esclarecidas e dos ladrões que atacam, que confundem e dispersam o único rebanho do Senhor. Padre é o homem de Deus que deve estar no meio do povo: nas Paróquias, nas Pastorais, nos Seminários, nos Hospitais, nas Escolas e Faculdades, nos Meios de Comunicação Social, nas Comunidades Inseridas e entre os mais pobres e marginalizados… É um sinal de que o Reino de Deus existe entre nós. Leia o resto deste post

Cinco países unidos para valorizar a vida

Autor/Fonte: Jovens Conectados

 Todos os jovens dos países do Cone Sul (Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai) estão convidados a fazer um Gesto Comum em favor da vida da juventude, de 5 a 12 de agosto, , constituído pela Organizações das Nações Unidas (ONU) como o Dia internacional da Juventude. A iniciativa é das pastorais juvenis dos cinco países e acontece desde 1997 a cada dois anos.

O Gesto Comum de 2012 será dividido em três momentos. O primeiro será de 5 a 10 de agosto. A sugestão é que cada grupo jovem de cada expressão que trabalha com o mundo juvenil possa realizar seminários, debates, caminhadas, atos públicos, visitas em lugares que a vida do jovem é violentada (como prisões, abrigos para dependentes químicos e alcoólicos, espaços nas ruas onde os jovens vivem). Também são sugeridas celebrações, rodas de conversa com os jovens ou o que mais o grupo considerar interessante para vivenciar e refletir sobre a defesa da vida da juventude.

O segundo momento acontecerá no sábado, 11 de agosto. A proposta é que todos os grupos das diferentes pastorais, novas comunidades, congregações, movimentos e outras organizações realizem, a partir das 19h uma grande celebração pela vida. O momento pode ser uma celebração eucarística ou outra oração, como o ofício divino.

A conclusão será com um dia de lazer, em que a juventude possa celebrar a vida também a partir do esporte, da cultura e da arte. Podem ser feitos torneios esportivos, gincanas, apresentações culturais, saraus, etc.

Centenas de grupos de jovens de todo Cone Sul estarão realizando em seus países outras atividades em favor da vida. Essa unidade entre as pastorais juvenis da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai deve ser estimulada entre os grupos.

Todos os grupos são convidados a compartilhar a vivência do gesto comum nas redes sociais para mostrar a mobilização e o protagonismo juvenil. Não esqueça de mandar sua foto para o facebook do Jovens Conectados, para mostrar aos demais toda a vivência de seu grupo!

Violência no Brasil
A necessidade de um gesto concreto em favor da vida da juventude está nas estatísticas de violência nos países do Cone Sul. No Brasil, a taxa de mortalidade média de jovens de 20 a 24 anos é de, aproximadamente, 262 homens e 59 mulheres a cada 100 mil habitantes, de acordo com dados  de 2008 reunidos no Mapa da Violência, amplo estudo (vídeo com resumo e estudo completo) realizado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil) e pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-americanos (Cebela). A taxa de mortalidade na faixa etária de 18 a 24 anos entre os jovens brancos é de 205 para cada 100 mil pessoas e sobe para 326 jovens negros. Mais de 80% dos presos no Brasil são jovens de 18 a 29 anos.

A realidade fica mais cruel com a falta de políticas que garantam a transformação urgente e necessária dessa realidade. A falta de emprego, de saúde e educação de qualidade, a falta de acesso a essas necessidades básicas contribuem para essa realidade de morte.

História do Gesto Comum
Em junho de 1996, no Encontro Latino-americano de Pastoral Juvenil, decidiu-se que cada região da América Latina faria uma ação conjunta que deveria marcar sua presença junto à juventude através de uma manifestação pública para a sociedade em favor dos jovens. O Gesto teve caráter profético para atender às necessidades concretas dos jovens, principalmente daqueles em situação de risco.

O primeiro gesto foi um jejum, em maio de 1997, para preparar a juventude do continente para o Grande Jubileu do nascimento de Cristo. No Brasil, o Gesto Comum do Cone Sul começou a ser vivido pelas Pastorais da Juventude do Brasil (PJ, PJE, PJMP, PJR) em agosto de 1999.

Em 2002, o cartaz e a oração da Semana da Cidadania foram usados por todos os países do Cone Sul. O tema da semana, organizada pelas Pastorais da Juventude do Brasil foi “Animemos a Esperança, Construamos a Paz – Direito de ser diferente”. Outros símbolos , como o fogo e a Whipala (bandeira da resistência latino americana), também foram compartilhados.

O gesto comum de 2004 também foi feito junto com a Semana da Cidadania, com lema “América Latina: Construindo a Democracia como Bem Comum”. O símbolo em comum foi, novamente, a Whipala. Foram feitas ações em todo o Brasil, como campanhas de documentação (certidão de nascimento, identidade e título de eleitor) para jovens e adolescentes; oficinas, shows, festivais, gincanas e debates para o aprofundamento do tema “Democracia e Bem Comum”; debates sobre a realidade da juventude com profissionais; atos públicos e criação de espaços para os jovens refletirem sobre seu projeto de vida.

Em 2010, após anos sem realizar o gesto comum, os jovens do Cone Sul reunidos no III Congresso Latino-americano de Jovens, na Venezuela, decidiram retomar a prática com foco na defesa da vida da juventude.

A Coordenação Nacional de Pastoral Juvenil, formada por 10 jovens coordenadores de pastorais, novas comunidades, movimentos e congregações que trabalham com juventude, é, desde 2011, o espaço de articulação e construção do Gesto Comum. A coordenação faz parte da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB.

 

Padre Djacy lança campanha de orientação ao eleitor e diz em quem ele deve e em quem não deve votar

Padre Djacy trava uma luta histórica pelo voto consciente
Fonte: Folha do Vale – Com a chegada de mais uma campanha eleitoral, o padre Djacy Brasileiro (foto), que já passou por várias paróquias da Paraíba e atualmente encontra-se em Pedra Branca, arregaça as mangas e parte para a luta pelo voto consciente.

A batalha que vem enfrentando nos últimos vinte anos é, antes de tudo, uma missão pela democracia. Ensinando o eleitor a se proceder corretamente nas urnas, o sacerdote acredita em uma transformação dos costumes políticos regionais para melhor e a expulsão dos maus gestores e parlamentares da vida pública.

Tendo o rádio e a internet como seus principais aliados, conforme apurou a Folha (www.folhadovali.com.br), padre Djaci começou o trabalho de orientação ao eleitor para o pleito de outubro próximo, quando o cidadão vai às urnas escolher candidatos a prefeito e a vereador.

Vejam o texto integral:
Leia o resto deste post

SÃO JOÃO MARIA VIANNEY

O Dia do Padre é comemorado em 04 de agosto, em homenagem a São João Maria Vianney, santo padroeiro dos sacerdotes. Filho de uma família de camponeses, o vigário nasceu no ano de 1786 num pequeno povoado francês chamado Ars. No seminário, embora fosse considerado um modelo de piedade, tinha dificuldade em acompanhar os estudos de filosofia e teologia. Mesmo com a desconfiança de seus superiores, São João Maria Vianney recebeu a ordenação sacerdotal. Porém, o sacerdote não tinha autorização para confessar, pois era considerado incapaz de guiar os fiéis. No entanto, logo ele se tornou um dos maiores confessores da Igreja e o Padroeiro dos párocos. São João Maria Vianney morreu aos 73 anos, em 4 de agosto de 1859. Antes de ser canonizado, pelo Papa Pio XI, a pequena cidade onde morava, Ars, já havia se tornado um centro de peregrinação