Reflexão do Evangelho do 18º domingo do tempo comum (Lc 12,13-21)

ilustracao_jovem_dinheiro_221012091039O ACÚMULO QUE EMPOBRECE

O evangelho deste domingo questiona nossa realidade socioeconômica brasileira: a concentração da riqueza nas mãos de poucos. O desejo de acumular se faz presente em homens e mulheres. Todos, ou quase todos, queremos sempre mais. A sede de possuir parece não ter fim. Jesus não despreza nem contesta a riqueza em si, mas a forma como é vista, usada e concentrada.

Diz certo ditado registrado nos muros de nossas cidades: riqueza partilhada é adubo de vida abundante para todos, e riqueza concentrada é sinal de morte para muitos. O ditado tem fundamento: quando a riqueza é distribuída, favorece a vida de toda uma nação; ao passo que, quando está concentrada e não é investida ou aplicada, muitos acabam passando necessidades. A preocupação dos governantes deve ser justamente se empenhar para que a riqueza seja distribuída e favoreça a vida de todos, e não apenas de uma minoria.

Para muitos, o dinheiro é tudo – por crerem que sem ele não se pode fazer nada. “O dinheiro dá ao homem a segurança, a possibilidade de fazer tudo. Desencadeia-se então o mecanismo da acumulação; o dinheiro nunca é demais, torna-se idolatria. Quando o dinheiro se torna o próprio deus, está-se disposto a tudo para obtê-lo. A sede do dinheiro opõe o homem ao homem. Se cada um procura ter mais, o outro se torna concorrente a superar ou a eliminar” (Missal Dominical, p. 1.196).

O papa Paulo VI dizia: “A busca exclusiva do ter forma um obstáculo ao crescimento do ser e opõe-se à sua verdadeira grandeza: tanto para as nações como para as pessoas, a avareza é a forma mais evidente do subdesenvolvimento moral” (PP 19).

A atual crise que o mundo está atravessando consiste numa “crise de ambição”: os países ricos, obedientes à lógica da acumulação e da busca do máximo de bem-estar e prazer, enquanto muitos afundam na miséria, de repente veem suas seguranças cair por terra. Essa crise pode ser vista como um “sinal dos tempos”, o qual deve ser lido à luz do evangelho.

Pe. Nilo Luza, ssp

Anúncios

Publicado em 4 de agosto de 2013, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s