Arquivo mensal: setembro 2013

Reflexão do Evangelho do 26º domingo comum (Lc 16,19-31)

28aABISMO ENTRE RICOS E POBRES

Pobreza e riqueza, eis uma questão presente no evangelho de hoje que se torna assunto de encontros e conferências ao longo do tempo e nos lugares mais remotos.

Há várias interpretações para a existência de pobreza e riqueza, pobres e ricos: muitos ligam pobreza e riqueza à sorte e ao acaso; outros veem na pobreza sinal de incompetência e preguiça e na riqueza prêmio de competência e dedicação. A verdade é que a pobreza deve ser combatida e a riqueza partilhada.

Segundo a parábola, o rico não é condenado por ser explorador, por tratar mal seus empregados, por este ou aquele ato, mas porque, enquanto se banqueteava em “festas esplêndidas”, não via o pobre faminto em frente à sua casa. Foi insensível e indiferente à necessidade do pobre. Eis o grande pecado de hoje, o abismo que separa ricos e pobres: a indiferença, que pode tornar-se definitiva, permanente, até a eternidade.

O perigo da riqueza mostra-se real quando desumaniza a pessoa, tornando-a insensível e indiferente à realidade de miséria e sofrimento de muitos filhos e filhas de Deus. A razão de ser dos bens, fruto do trabalho de todos, é a promoção de todas as pessoas da sociedade.

Muitos países ricos estão construindo um abismo, fechando a porta a imigrantes que buscam – em meio à angústia e necessidades – vida com dignidade. Nações ou grupos multinacionais controlam a riqueza e fazem dela fonte de divisões em favor de seu domínio econômico.

Há também o abismo da discriminação e da intolerância derivada da cor, do gênero e da cultura – esquecendo que nos tornamos mais humanos quando nos relacionamos com a diversidade e a aceitamos.

O planeta Terra é a casa de todos ou a “casa comum”, onde convivemos com todos e nos sentimos em nosso próprio lar, usufruindo dos frutos do trabalho humano e dos bens – dons de Deus – que a própria natureza nos fornece.

Pe. Nilo Luza, ssp

Festa de Santa Teresinha 2013

santateresinha001A liga de Santa Teresinha, juntamente com o Pe. Cláudio e Pe. Janecildo convidam as Pastorais, grupos, movimentos e todo o povo de Deus para participarem das festividades em homenagem a Santa Teresinha do Menino Jesus.

O Tríduio celebrativo que ocorrerá no período de 26 /09 (quinta-feira) com o hasteamento da bandeira e Missa. Nos dias 27,28 Missa na Igreja Matriz e no dia 29 de setembro de 2013 (domingo) encerramento da festa com  procissão às 19h, logo após Missa e entrega das fitas as novas Teresianas.

Oração das Rosas

Santa Teresinha do Menino Jesus modelo de humildade confiança e de amor! Do alto dos céus derrame sobre nós estas rosas que levas em teus braços: a rosa da humildade para que vençamos nosso orgulho. E aceitamos o evangelho: a rosa da confiança, para que nos abandonemos a vontade de Deus. A rosa do amor, para que abrir nossa alma à graça Divina. Realizamos o único fim para o qual Deus nos criou. Amá-lo e fazer com que Ele seja amado. Tu que passas teu céu fazendo o bem na terra. Ajuda-me nas necessidades e proteja-me contra todo mal. Amém!

10º Fest Arte GICI (Festival de Arte e Cultura)

1375176_517656448324433_1884780777_nO GICI- GRUPO DE INCENTIVO CULTURAL DE ITAPORANGA -PB TEM A HONRA DE CONVIDA, TODOS OS GRUPO DE ARTE, PARA PARTICIPAR DO SEU 10º FESTIVAL DE ARTE E CULTURA FEST ARTES 2013, QUE SERÁ REALIZADO DIA 10 DE NOVEMBRO NA CIDADE DE ITAPORANGA-PB ,AS COMPETIÇÕES SERÁ AVALIADAS POR CATEGORIA. CONTAMOS COM SUA PARTICIPAÇÃO. INSCRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO GRATUITAS,

CONTATOS COM A PRODUÇÃO DO EVENTO, CLICK AQUI E TENHA MAIS INFORMAÇÕES.

Reflexão do Evangelho do 25º domingo comum (Lc 16,1-13)

clipart8DEUS OU O DINHEIRO?

A história do administrador desonesto não foi contada por Jesus como elogio à desonestidade. O que Jesus elogiou foi a decisão do administrador de fazer amigos.

O versículo 13 dá a chave para compreender a parábola: não é possível servir igualmente a dois senhores, não é possível servir a Deus e ao dinheiro. E então entendemos o elogio de Jesus àquele homem que, por meios até discutíveis, toma o partido dos que estão endividados.

A riqueza, bem sabemos, está na raiz de tantas divisões e guerras. Acumulada nas mãos de poucos, representa a miséria de multidões. Jesus, porém, fala da sabedoria de fazer amigos com a riqueza, de criar relações de fraternidade onde a lógica egoísta do acúmulo cria divisão.

A atitude daquele administrador é louvável, pois representa a atitude de quem reconhece que toda e qualquer riqueza pertence a Deus e só a ele se deve servir. Leia o resto deste post