Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude começa em Belo Horizonte

ANPJ_PJ-1024x682Fonte:Jovens conectados

Com muita alegria, cores, perfumes, danças e sabores, teve início, na manhã dessa última segunda-feira (20), a Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude (ANPJ). Os quase 100 delegados vindos de todos os regionais da CNBB presentes no Recanto Marista, em Ribeirão das Neves (MG), se reúnem para avaliar a caminhada da Pastoral da Juventude (PJ) e para realizar deliberações e escolha das diretrizes para a ação pastoral.

“Vivenciar o chão da nossa realidade pra que as juventudes tenham vida” foi o refrão que ecoou no momento de mística pela manhã. Na oração, os delegados foram interpelados a rezarem em sintonia com a juventude de sua realidade, lembrando os nomes de jovens dos seus grupos e comunidades.

O momento foi finalizado com a oração do Credo da Juventude de Dom Pedro Casaldáliga.

A ANPJ acontece a cada três anos. Desta vez, reúne-se no regional Leste II da CNBB e tem como tema “Somos Igreja Jovem: 40 anos construindo a civilização do amor”; a iluminação bíblica é de Atos dos Apóstolos: “Não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos” (At 4,20).

Representações de juventude participam da abertura da ANPJ

Uma mesa de abertura marcou o início da Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude. Agradecimentos, partilha do caminho realizado e das experiências pessoais foram destaque nas falas de representantes da Igreja, instituições parceiras e membros da PJ que estiveram presente.

Mediado pelo secretário nacional da Pastoral da Juventude, Francisco Crisóstomo (Thiesco), participaram do momento Dom Eduardo Pinheiro, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude; Alessandro Melchior, presidente do Conselho Nacional de Juventude; Alessandra Miranda, representante da Cáritas Brasileira; Ir. Ronilton Santos, representante da Província Marista Brasil Centro-Norte; Ir. Maria Couto, representante da Comissão Nacional de Assessores (CNA); Vinicius Ventura, pela Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude; e César Augusto, representante da equipe de articulação da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Belo Horizonte.

“Há muito a agradecer! Não esqueçamos disso! Há pontos que precisam ser retomados e fortalecidos! Não nos cansemos de descobri-los e de reconhecê-los!”, ressaltou Dom Eduardo Pinheiro.

Segundo Dom Eduardo Pinheiro, o momento é oportuno para agradecer, fortalecer, renovar e avançar. “Há muito a agradecer! Não esqueçamos disso! Há pontos que precisam ser retomados e fortalecidos! Não nos cansemos de descobri-los e de reconhecê-los!” – afirmou o bispo.

A contribuição com o Conselho Nacional da Juventude (CONJUVE), com a construção das políticas públicas de juventude e para a elaboração do estatuto da juventude foram destaques dos agradecimentos feitos pelo presidente do CONJUVE, Alessandro Melchior. “A PJ tem contribuído muito com os processos de políticas de juventude. Muitas pessoas dessa pastoral se dedicaram a essa causa e merecem o nosso agradecimento”, afirmou.

Ao lembrar do processo de construção da ANPJ, o jovem César Augusto fez memória de sua caminhada na Pastoral da Juventude. Com a ata de reuniões de seu grupo de base, lembrou de pessoas e processos vividos. “Não posso deixar de falar das coisas que vi e ouvi”, concluiu.

Estiveram presentes, ainda, nesse momento, pe. Toninho, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, da CNBB; Mayara, representante da JUFRA; Jardel, pela Rede de Centros e Institutos de Juventude; e Lourival, do Cajueiro – Centro de Formação, assessoria e Pesquisa em Juventude.

“Vamos nos deixar interpelar pelas mudanças” – Análise de conjuntura

A tarde do primeiro dia da Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude foi momento para os delegados analisarem a conjuntura. Com o painel “o contexto da realidade a partir de alguns recortes”, foi realizada uma análise de conjuntura com foco nos aspectos social, político, eclesial e juvenil.

Alessandra Miranda, integrante da Comissão Nacional de Assessores, ajudou os jovens a verem a realidade pelo foco social e político. Destacando um texto do Evangelho de Mateus, ela disse que é preciso estarmos atentos para vermos os sinais dos tempos. “As pessoas, os jovens não são apenas vítimas, mas sujeitos dos processos que vivem”, disse. “Vamos nos deixar interpelar pelas mudanças”, completou Alessandra, lembrando as diversas situações vividas nos últimos tempos na sociedade brasileira.

Sérgio Coutinho, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato – Setor CEBs, provocou sob o aspecto eclesial. A partir da encíclica do Papa Francisco, Coutinho apontou duas fragilidades da Igreja na atualidade: ser auto-referencial e mundana. Ele concluiu a fala trazendo alguns questionamentos sobre a postura da PJ diante desse cenário.

O aspecto juvenil foi trazido na fala de Raquel Pulita, assessora da Pastoral da Juventude do Distrito Federal e Edilson Gondim, coordenador da Pastoral da Juventude, pelo Regional Norte 2. Eles trouxeram dados das realidades dos jovens a partir de diferentes aspectos como formação, trabalho, religião, violência, participação social e projeto de vida.

A tarde terminou com os delegados realizando discussões em grupos a partir de duas questões: o que ecoa da realidade dos jovens e o que essa realidade aponta para a missão da PJ no Brasil.

Anúncios

Publicado em 23 de janeiro de 2014, em PASTORAL DA JUVENTUDE e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s