Arquivo diário: 28 de setembro de 2014

Reflexão do Evangelho do 26º Domingo do Tempo Comum (Lucas 9,1-6)

o joio do trigoTRABALHADORES NA VINHA DO SENHOR

Os dois filhos da parábola negam sua palavra: um diz sim e não faz; outro diz não e faz. O que é mais grave: dizer sim e não fazer ou dizer não e fazer? Os dois filhos se arrependem da própria palavra dada.

Diante de Deus, o que vale não é tanto a palavra, o falar, mas o fazer. Para cumprir sua vontade, não basta dizer “Senhor, Senhor” e enfileirar promessas; o que importa é a prática de vida. Por traz da palavra podem estar escondidas falsidades e mentiras. Como disse alguém, fazer é a melhor maneira de mostrar que é possível transformar a sociedade.

Todos somos chamados a trabalhar na vinha do Senhor. Palavras passam depressa; o que tem valor realmente é arregaçar as mangas e se dispor ao projeto de Jesus. Ele necessita de pessoas generosas que se dediquem a dar continuidade ao seu reino: a construção de uma sociedade justa e fraterna, que se preocupe principalmente com a inclusão dos excluídos.

O que nos causa mais surpresa é a segunda parte do evangelho: os pecadores e as prostitutas nos precederão no reino dos céus – embora todos nos incluamos no grupo dos pecadores e sejamos, portanto, “merecedores” do “prêmio” prometido por Jesus. Os que se pretendem perfeitos, bons observadores das leis e frequentadores da Igreja podem ser precedidos no reino pelos que, não obstante sejam julgados e condenados como violadores das leis e pecadores públicos, trilham o caminho da justiça, o caminho de Deus, do seu projeto e de sua vontade.

Muitos abandonados pela sociedade e sem lugar nas igrejas podem estar no coração de Deus. Quando os evitamos ou desprezamos, Deus se aproxima deles e os acolhe.

Uma religião que se restringe ao cumprimento de rituais e práticas religiosas e se descuida da vivência fraterna, da ternura e da compaixão não é do agrado de Deus e é de pouca valia. Nossos encontros com Deus nos fins de semana, com a comunidade reunida, sinalizam nosso desejo de contar com ele ao longo da semana, vivendo a caridade e a justiça.

Pe. Nilo Luza, ssp

Relembrando o guia de orientação ao eleitor por Padre Djacy.

Padre DjacyA HORA E A VEZ DO(A) ELEITOR(A) SERTANEJO(A)

SERTANEJO (A), Consciente de seus direitos básicos (saúde, educação, moradia, água, segurança etc.,) vote somente em candidatos que tenham compromisso com sua cidade, sua comunidade rural, que visem o bem comum, o interesse do povo. Para isso, conheça a sua história de vida, suas atitudes éticas, cristãs. Reflita: por que fulano A ou B quer ser prefeito, ou vereador? Quais suas intenções?Quais suas propostas de governo? Candidato A ou B é digno do meu voto? POR QUE EU DEVO VOTAR NELE (A)?

SERTANEJO (A), não vote aleatoriamente, cegamente. Use sua inteligência, seu raciocínio. Pense antes de se comprometer com qualquer candidato. Não vote movido pela paixão, pelos brilhos festivos das campanhas, pelas as aparências físicas, pelo tradicionalismo familiar. O futuro de sua cidade, de seu sítio, está em suas mãos. Por isso, vote com muita responsabilidade. VALORIZE SEU VOTO, QUE É SUA ARMA CIDADÃ. Leia o resto deste post