Arquivo diário: 2 de dezembro de 2014

Reflexão do Evangelho do 1º Domingo do Advento (Mc 13,33-37)

adventoA RESPONSABILIDADE NOSSA DE CADA DIA

Novo ano litúrgico se abre com o Advento, tempo de preparação para o Natal do Senhor. Iniciamos esta preparação sendo convidados a vigiar assumindo responsabilidades.

A parábola faz pensar no tempo que se chama “hoje”. Caminhamos com um Deus que se relaciona, que é próximo e nos confia responsabilidades sobre sua casa, o próprio mundo que criou. E vivemos na esperança, esperando o retorno de Deus, o momento do acerto de contas a respeito do que fizemos com a confiança depositada em nós.

Podemos traduzir a ordem de vigiar em várias atitudes: indignar-nos contra as indignidades que ferem a liberdade e a vida dos filhos de Deus, continuar acreditando que Deus nos dá forças para superar as misérias humanas, comprometer-nos a cada dia com a construção de relações fraternas…

Vigiar, enfim, é não “dormir no ponto, não perder a ocasião, mas saber discernir os momentos, na oração que levaà ação e na ação que se transforma em oração e nos aproxima de Deus.

A oração, de fato, é um modo de tomar consciência de nossas responsabilidades perante a natureza, as pessoas, as situações. Pensemos no que pedimos ou agradecemos a Deus. Quantas vezes transferimos para ele nossas próprias responsabilidades? Podemos pedir que Deus acabe com a fome e a guerra no mundo, que nos mande políticos honestos. Mas quem criou a fome e a guerra não foi Deus, e quem elegeu políticos corruptos também não foi ele. Não é cristão imaginar que a fome e a guerra acabarão sem nosso compromisso concreto e que lideranças autênticas surjam sem que tenhamos consciência crítica.

É dom de Deus poder continuar trabalhando para que o mal não domine os corações humanos e para que o retorno do Dono nos encontre comprometidos com a causa do reino, na firme esperança e sobriedade, seguindo os valores vividos pelo Mestre. Continuamos responsáveis pela casa de Deus. Que, vindo de repente, ele não nos encontre dormindo, no comodismo e na indiferença.

Pe. Paulo Bazaglia, ssp

Anúncios

Ano da Paz contra a violência: iniciativa da CNBB

Ide e Anunciai

2014-12-01 Rádio Vaticana

Brasília (RV) – Com o primeiro domingo do Advento, os católicos brasileiros começaram o Ano da Paz. Aprovado por unanimidade durante a última Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o período de reflexões, orações e ações sociais se estenderá até o Natal de 2015.

O Arcebispo de São Luís (MA) e Vice-Presidente da CNBB, Dom José Belisário da Silva, afirma que o Ano da Paz é um convite para reflexão sobre os motivos de tantos acontecimentos violentos. “Está na hora de a sociedade brasileira dar passos no sentido de buscar uma harmonia maior no relacionamento humano. Os nossos relacionamentos estão muito degastados”, ressalta.

Dom Belisário manifestou a preocupação da entidade com o nível de violência da sociedade brasileira. Para ele, é uma questão complexa que envolve herança histórica, injustiça estrutura, tráfico de drogas e exclusão “de uma camada grande da sociedade”. “Isso tudo…

Ver o post original 241 mais palavras